As damas das noites de Arcoverde.

https://i1.wp.com/photos4.hi5.com/0134/798/383/DUEPdo798383-02.jpg
Como é de costume, eu sempre,
ficar navegando, na NET, estava
eu procurando, algo sobre o cantor
Odair José, de repente me deparei,
com um blog no Spaces Live, onde,
terminei me interessando pelo assunto.

https://i1.wp.com/photos3.hi5.com/0129/134/934/V.FOth134934-02.jpg

Após ler toda matéria, resolvi, pública-la
em meus espaços de toda internet,
eu não acrscentei uma única, palavra,
a não ser nessa apresentação da postagem…
que tem a origem do blog da:

Shirley Maciel de Aguiar

O Assunto é forte e bem pensado,
e trata-se de um caso que merece
a atenção de todos de uma forma geral.

As damas das noites
de Arcoverde.

Dona Maria do carmo(Docarmo) que é
dona até hoje de uma casa noturna
e Dona Francisquinha ex-dona de casa noturna.

Nena Cajuina,uma das mulheres
mais conhecidas da cidade
e até hoje é dona de uma casa
noturna muito frequentada.

O sexo é sagrado,
como salgadas são as gotas de suor
que brotam dos meus poros
e encharcam nossas peles.
A noite é meu templo
onde me torno uma deusa enlouquecida
sentindo teus pelos sobre a minha pele.
Neste instante já não sou nada,
somente corpo,
boca,
pele,
pêlos,
línguas,
bocas.

E a vida brota da semente,
dos poucos segundos de êxtase.
Tuas mãos como um brinquedo
passeiam pelo meu corpo.
Não revelam segredos
desvendam apenas o pudor do mundo,
descobrem a febre dos animais.
Então nos tornamos um
ao mesmo tempo em que
a escuridão explode em festa.

A noite amanhece sem versos,
com a música do seu hálito ofegante.
O sol brota de dentro de mim.

Breves segundos.
Por alguns instantes dispo-me do sofrimento.
Eu fui feliz.

Uma história de vida.
Francisca Cavalcanti(Francisquinha).

A origem do fenômeno da prostituição não tem data precisa
na história da humanidade, mas foi nas civilizações
avançadas da Antiguidade que se desenvolveu sob a
forma tipicamente comercializada. Ao longo dos anos,
assumiu novos contornos influenciados por condicionamentos
econômicos, culturais e religiosos, apesar disso,
sobre todos eles houve um denominador comum:

a prostituição como uma alternativa simples
e primitiva de luta da mulher pela sobrevivência.

No Brasil,a prostituição é uma constante
desde o período colonial.Nessa realidade,
as mulheres que exerciam a prostituição
eram vistas como pacificadoras da violência
sexual, salvaguarda do casamento moderno e,
ao mesmo tempo, taxadas de meretrizes”
Para compreender o significado da
prostituição neste período, é necessário
lembrar do pano de fundo existente: a pobreza,
que fazia do meretrício um ofício ou uma forma
de trabalho ligada à sobrevivência.

“A prostituta, carregada de preconceitos como
herdamos hoje no Brasil, nasce do conflito
entre as duas diferentes idéias e realidades
de prostituição existentes: a meretriz de bordel
(alto luxo e com aparente permissão para transgredir)
e as prostitutas da Colônia que, por razões de
sobrevivência, ingressavam nesta atividade.

Pois é, aqui na cidade de Arcoverde na dec. de 60 a 80
a prostituição tinha total plenitude porém durante
o decorrer do tempo e com o grito de igualdade sexual
entre homens e mulheres as noites das casas noturnas
de Arcoverde já não foram mais como antes,isso é bem
claro e visível a todos da cidade pricipalmente os
boemios.Tirei uma noite junto a uma ex-dona de casa
noturna dona Francisca Cavalcanti mais conhecida
como dona Francisquinha ,que com bastante dedicação
apresentou a min e minha amiga Pollyana a
AV.José Bonifácio no bairro do São Cristovão,
rua conhecida como do cabaré.Durante nosso passeio
pela noite das casas noturnas de Arcoverde,
dona Francisquinha falava das suas recordações
quando saiu de casa aos 13 anos para ter mais
liberdade e fazer de sua vida o que queria sem
repreenção dos pais com total liberdade para tudo.

Seu maior sonho na época era ser dona de uma casa noturna,
porém de inicio começou como prostituta e depois de seis
anos teve a oportunidade de montar a sua propria casa
noturna com todo dinheiro juntado durante aqueles anos
de trabalho na noite.Ao longo do tempo mesmo gerenciando
e trabalhando em sua casa noturna teve vários amores e
viu varias histórias de amor nascerem alí dentro de sua casa,
homens que se apaixonavam pelas damas da noite e que fizeram
delas suas senhoras.Uma história de amor que relatei foi da
própria Francisquinha, que conheceu seu marido dentro da sua
casa noturna e mesmo em suas atividades viveram durante 17
anos e desse relacionamento veio uma filha, mas hoje já
separada do seu marido afirma que não precisa de mais nada
para ser feliz muito menos a companhia de um homem
e que sexo não lhe faz falta.Cansada desse mundo de
prostituição no dia 14 de dezembro de 2005 decidiu
que não queria mais viver nessa vida e parou completamente
com sua casa noturna.

Hoje dona francisquinha aos seus 61 anos,
diz sem saudades;

“Era uma vida dura e muito sofrida,
cheia de preconceitos mas ganhava-se
um bom dinheiro na década de 60 até
meiados de 90,coisa que hoje em dia já
não se ganha mais como antes e o sofrimento
de hoje é muito maior por conta dos declínios
do tempo, das drogas e a evolução sexual.

e se eu pudesse voltar ao passado já
mais queria viver novamente essa vida
de prostituição pois é uma vida muito
sofrida sem paz,totalmente destrutiva,
tudo passa e a juventude é fugaz,
por isso espero que fique bem claro
meu recado para as pessoas que tem
a prostituição como idéia de vida ainda
hoje, pois a prostituição é uma ilusão,
nada se constrói de bom e tudo passa
tão rápido que o dinheiro não paga as
marcas que ficam no coração e por pior
que seja qual quer trabalho é melhor
que ser uma prostituta.”

Sandro e Vera,casados e
donos de uma casa noturna.

À noite, palavras sem nexo
Transcendem a sexo
Não falo, murmuro
Preparo o mergulho
No teu doce mar.
À noite, o quarto é escuro
Mas há um contra-senso
Um brilho intenso
A luz é tão forte
Que pode cegar
Dois corpos
Tochas lampejantes
Se fundem em um só corpo
Tão forte é o enrosco
Que faz delirar
Me perco, no tempo e no espaço
No teu doce abraço
Não sei o que façoÉ só frenesi
Me deixo levar…

Eu Vou Tirar Você Desse Lugar.

Odair José.

https://i0.wp.com/photos4.hi5.com/0131/630/855/Onac9A630855-02.jpg

Olha, da primeira vez que eu estive aqui
foi só pra me distrair
eu vim em busca de amor

Olha, foi então que eu le conheci
naquela noite fria
nos seus braços meus problemas esqueci

Olha, a segunda vez que eu estive aqui
Já não foi pra distrair
Eu senti saudade de você

Olha, eu precisei do seu carinho
eu me sentia tão sozinho já não podia mais le esquecer

Eu vou tirar você desse lugar
eu vou levar você pra ficar comigo
e não me interessa o que os outros vão pensar
2x

Eu sei que você tem medo de não dar certo
pensa que o passado vai estar sempre perto
e que um dia eu posso me arrepender

E eu quero que você não pense em nada triste
pois quando o amor existe
não existe tempo pra sofrer

Eu vou tirar você desse lugar
eu vou levar você pra ficar comigo
e não me interessa o que os outros vão pensar.


Casa noturna de Nena Cajuina.

ATENÇÃO:

O preservativo é um método contraceptivo
do tipo barreira.

Este é o método contraceptivo mais utilizado
em todo o mundo, que ajuda não só no planejamento
familiar como também reduz o risco de transmissão
de diversas DSTs.

É feito de látex ou poliuretano e geralmente
vem já lubrificado, existindo em várias cores,
aromas e tamanhos. Deve estar presente durante
todo o ato sexual:

deve colocar-se antes de iniciar a penetração
e retirar-se depois da ejaculação,
antes que o pénis perca a ereção.

Apesar de ser o método mais eficiente
contra a transmissão do vírus HIV
(causador da epidemia da SIDA),
o uso de preservativo não é aceito
pela Igreja Católica Romana, pelas
Igrejas Ortodoxas e pelos praticantes
do Hinduísmo.



Um dos quartos da casa noturna de Nena Cajuina.

A prostituição pode ser definida como a
troca consciente de favores sexuais por
interesses não sentimentais, afetivos ou prazer.

Apesar de comumente a prostituição consistir numa
relação de troca entre sexo e dinheiro, esta não
é uma regra. Pode-se trocar relações sexuais por
favorecimento profissional, por bens materiais
(incluindo-se o dinheiro), por informação, etc.

A prostituição é praticada mais
comumente por mulheres,
mas há um grande número de
casos de prostituição masculina
em diversos locais ao redor do mundo.

(Zélia)

Na primeira foto está Laura Muriçoca
já falecida vitima de cancer de mama,
era tida como uma das mulheres mais bonitas
que trabalhava nas noites de Arcoverde e
também tia de Francisquinha.

Obs;Arquivo cedido pela "BODEGA DA POESIA".

Agradecimentos:


Primeiramente, agradeço a Deus por ter
me dado a oportunidade de estar no mundo.
Aos amigos Pollyana Lopes que fez todas
as fotos ,Fernamdo da bodega da poesia e
sua dedicação , que me "aturam"por dias.

Aos amigos internautas, adquiridos nas
noites e madrugadas insones e, hoje,
conhecidos pessoalmente, deixamos de
ser os estranhos do outro lado do computador…
Tenho muito a agradecer e a muitas pessoas.
Não cito nomes para não ser injusta com
pessoas que me auxiliaram até onde já cheguei…

Meus agradecimentos especiais a:

Todos que fazem as noites de Arcoverde
e as mulheres donas das casas noturnas
e as garotas que trabalham nas noites,
pelo respeito e colaboração.
E claro a Dona Francisca Cavalcanti
(Francisquinha) e Dona Nena Cajuina
pela amizade, companheirismo, dedicação
e sinceridade nas palavras;

A todos que colaboraram direta ou
indiretamente para a concretização
deste trabalho. Para vocês, ofereço
esta página…

Que os versos do dia-a-dia formem
os mais belos poemas da poesia da vida…
Muito obrigada a todos!

Shirley Maciel de Aguiar.
http://shirleymaciel.spaces.live.com/

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: