Arquivo para maio, 2010

Amanhecer Violento, Red Dawn – 1984

Posted in Cinema e Televisão on maio 24, 2010 by BernardoMontador
O Amanhecer Violento – Dual – [DVD-Rip] – Dublado


Sinopse do Filme:
Amanhecer Violento começa com uma
das mais chocantes cenas jamais filmadas, numa manhã tranquila através
das janelas de uma aula de liceu, estudantes veem para-quedistas
aterrar no campo de futebol: a invasao dos EUA começo !

À
mediada que a sua cidade é invadida por forças militares, 8 jovens
escapam para as montanhas. Adotando o nome da sua equipa de futebol do
liçeu, os Wolverine, formam uma guerrilha armada em defesa dos seus
pais, amigos e do proprio país. Poderoso, arrepiante e electrizante,
este extraordinario filme é protagonizado por alguns dos mais populares
atores de hoje.



Título: O Amanhecer Violento.
Formato: AVI
Qualidade: Dvd-Rip.
Gênero: Guerra.
Codec: xvid
Video: 591 x 496
Áudio: Mp3-128 kbps,Stéreo.
Taxa De Dados-(Media): 861.kbps.
Duração Média: 114 min.
Partes do Arquivo: 01.
Tamanho Médio: 702 megas.
Idioma Audio: Portugues/Inglês.

Obs:Para abrir o arquivo será necessário usar o “Winrar” Usando a Senha “jhonatan28”

Que
bom se essa cena realmente tivesse existido, mas não aconteceu em solo
americano. Esta é uma imagem de divulgação do filme Red Dawn, Amanhecer
Violento para nós brasileiros.

Esta
película conta história de como os soviéticos e cubanos invadiram os
Estados Unidos e um grupo de adolescentes organizando uma guerrilha
(partins para eles) para enfrentar o invasor. O legal que o filme
justifica ações guerrilheiras e atentados contra as tropas soviéticas.
Para quem hoje sofre nas mãos dos rebeldes iraquianos…

Terra de Gigantes – Parte do Elenco

Posted in Cinema e Televisão on maio 23, 2010 by BernardoMontador

Kurt Kasznar – Biografia


 

Kurt Kasznar (Kurt Servischer) nasceu no dia 12 de agosto de 1913,
em Viena, Áustria. Seu pai morreu quando ele tinha dois anos. Sua mãe
casou-se novamente com um húngaro chamado Ferdinand Kasznar que tinha
vários restaurantes na cidade. Com a subida de Hitler ao poder, Ferdinand
resolveu mudar-se para Salburgo onde ele abriu o restaurante
Mirabelle. 

 

 

Depois fugiu da Áustria para a Inglaterra e em Londres reabriu seu
restaurante. Kurt foi para o teatro muito cedo, quando tinha 7 anos o
comediante francês Max Linder colocou Kurt no elenco de "Max, King of
the Circus
" e depois disso começou a participar de diversos filmes.
Estudou dramaturgia em Viena, depois foi para a Suíça e através de um
convite do ator Max Reinhardt veio para Nova Iorque onde conheceu Cornelia
Wooley, uma herdeira muito rica e casou-se com ela tornando-se um cidadão
americano. Nos Estados Unidos começou a trabalhar em diversos filmes e
teatro. Pouco tempo depois da guerra, sua esposa morreu. 

 

 

Em 1950 quando fazia a peça "The Happy Time" na Broadway
conheceu a sua segunda esposa, a atriz Leora Dana. Seu casamento com Dana
durou até 1958, depois Kurt não se casou mais. Em 1967 foi convidado por
Irwin Allen para fazer o papel de Alexander Fitzhugh em "Terra de
Gigantes
". Depois da série continuou a trabalhar na televisão, cinema
e teatro. Kurt morreu de câncer em 6 de agosto de 1979 em Santa Mônica,
Califórnia, Estados Unidos.

Gary Conway – Biografia



Gary Conway (Gareth Monello Camody) nasceu em 4 de fevereiro de
1936, em Boston, Massachusetts, Estados Unidos. Trabalhou em séries como
"Burke´s Law", "Land of the Giants", "Maverick",
"77 Sunset Strip" e também participou de filmes como "Teenage
Frankenstein
"  e "How to Make a Monster". Durante um certo
período de sua carreira trabalhou na Broadway em produções como "Beauty
Part
" juntamente com Bert Lahr e Anita Loos. É casado com Marian
Conway, que foi Miss América 1957 e atualmente trabalha escrevendo
roteiros de cinema, produtor e nas horas vagas dedica-se ao seu
vinhedo..

POSTAGEM EXTRAIDA DO SITE

Terra de Gigantes – Land of Giants – Parte 2

Posted in Cinema e Televisão on maio 23, 2010 by BernardoMontador

Terra de Gigantes – Land of Giants – Parte
4



 

Elenco principal da série Terra de Gigantes

 

 

Capitão Steve Burton – Gary Conway
(Gareth Monello Camody) nasceu em 4 de fevereiro de 1936, em Boston,
Massachusetts, Estados Unidos. Trabalhou em séries como "Burke´s
Law
", "Land of the Giants", "Maverick", "77 Sunset
Strip
" e também participou de filmes como "Teenage
Frankenstein
"  e "How to Make a Monster".

 

 

Durante um certo período de sua
carreira trabalhou na Broadway em produções como "Beauty Part"
juntamente com Bert Lahr e Anita Loos. É casado com Marian Conway, que foi
Miss América 1957 e atualmente trabalha escrevendo roteiros de cinema,
produtor e nas horas vagas dedica-se ao seu vinhedo..

 

 

Co-piloto Dan Erickson –  Don
Marshal (Donald James Marshall), nasceu em San Diego, Califórnia, Estados
Unidos, em 3 de maio de 1934, estudou engenharia em San Diego City College
entre 1956 a 1957 e encorajado pelo seu amigo Peter Bren passou a estudar
por quatro anos a Bob Gist Dramatic Workshop.

 

 

Em 1961 fez sua estréia em "The
Intern´s
", depois começou a participar em vária séries de televisão
como "Ben Casey", "Rawhide" e "The Alfred Hitchcok
Hour
". Participou em 1965 num dos episódios de "Jornada nas Estrelas",
mas sua fama veio somente com "Terra de Gigantes".

 

 

Depois continuou sua carreira
participando de outras séries e filmes, mas aos poucos foi se afastando da
profissão e atualmente trabalha numa empresa e também escreveu um roteiro
para um novo filme de Terra de Gigantes chamada "Escape from a Giant
Land
" e está a espera de alguém se interesse em produzi-lo.

 

Comissária Betty
Hamilton – Heather Young cujo nome verdadeiro é Patricia Kay Paterson,
nasceu em Bremerton, Washington, Estados Unidos. Seu pai Melvin Paterson
era engenheiro civil e viajava constantemente a trabalho, por isso Heather
freqüentou várias escolas em diversos locais como Riverton, Wyoming,
Tacoma Park, Missouri e três anos em Brigham Young University em Utah.

 

 

Começou a trabalhar
como enfermeira e fisioterapeuta, depois envolveu-se com a igreja mórmon
onde passou a cantar, quando foi descoberta pela 20th Century Fox.
Permaneceu um verão cantando na Disneylândia e logo depois foi chamada
pela Fox em Hollywood. Mudou seu nome para Heather Young e a partir de
1967 passou a atuar em diversos seriados como "Batman", "Judd
for the Defense
" e também no filme "A Guide for the Married
Man
".

 

 

Sua primeira
experiência com Irwin Allen foi num dos últimos capítulos da série
"Túnel do Tempo" quando foi convidada para interpretar a comissária
Betty Ann Hamilton em "Terra de Gigantes". Quase na metade da segunda
temporada da série descobriu que estava grávida, por isso ela passou a ser
vista apenas da cintura para cima, usando roupas largas e até não
participando de alguns episódios. Depois da série trabalhou somente em
mais uma ou duas séries.

 

 

Nos anos setenta ela e
seu marido David mudaram-se para Utah e tem cinco filhos. Em 1980 voltou a
participar em dois episódios de "Galactica 1980". Depois disso
voltou a usar o seu nome real (Patricia York), e atualmente trabalha em
Utah, fazendo teatros comunitários, escrevendo peças infantis e musicais,
gravou alguns discos solos inclusive um dos deles de música
country.

 

 

Passageiro Valerie  Ames Scott – Deanna Lund era esportista,
gostava de cavalos e jogos esportivos aquáticos. Passou a estudar teatro
para tirar sua timidez. Fez sua primeira aparição no filme "Robert
Taylor-Chad Everett
" e depois começou a aparecer em outros filmes,
quando Max Arno, um descobridor de talentos a trouxe para Hollywood, onde
começou a trabalhar em vários filmes. Teve oportunidade de trabalhar com
Elvis Presley por duas vezes.

 

 

Na época em participou de "Batman" e "Bob Hope Chrysler
Theatre
" foi convidado por Irwin Allen para interpretar Valerie Ames
Scott em "Terra de Gigantes". Lá conheceu Don Matheson, casou-se com ele e
tem duas filhas. Depois da série fez alguns outros trabalhos. Em 1991
trabalhou com  Don no filme "Roots of Evil"  e "Red
Wind
". Atualmente Deanna faz participações em eventos e trabalha em
campanhas contra a violência.

 

 

Engenheiro Mark Wilson – Don Matheson nasceu no dia 5 de agosto de
1929 em Dearborn, Michigan, Estados Unidos. Deixou a escola secundária aos
17 anos e entrou para corpo de fuzileiros navais. Depois de um certo tempo
no Exército foi transferido para o Departamento de Investigação Criminal
(CID) e trabalhou como agente para o comando das Nações Unidas na Coréia,
onde chegou a ser condecorado.

 

 

Depois foi para a Polícia de Detroit fazendo investigações sobre
narcóticos. Um dia a pedido do diretor do Teatro de Vanguarda resolveu
fazer uma cena em "Um Bonde Chamado Desejo". O diretor ficou tão
impressionado com Don que o convidou a fazer outros espetáculos.

 

 

Depois já como ator mudou-se para o afamado Greenwich Village onde
começou a fazer pequenas apresentações, quando o agente George Morris o
encontrou e convidou para fazer alguns cenas de "Navy of McHale" em
1962. A partir daí começou a ser chamado para trabalhar em diversos 
filmes. Em 31 de outubro de 1963, numa festa dos Dia das Bruxas em
Hollywood conheceu a sua primeira esposa a atriz Maxine Arnold.

 

 

Em 1965 participou de um episódio em "Perdidos no Espaço"
quando conheceu Irwin Allen que o convidou para interpretar o engenheiro
Mark Wilson em "Terra de Gigantes". Lá conheceu Deanne Lund e em
abril de 1970 casou-se com ela.

 

 

Eles tem duas filhas, inclusive uma delas, Michele Matheson é atriz
e fez algumas participações em "Assassinato por Escrito" e em
"Magnum".  Depois da série Don continua a trabalhar em
televisão e filmes como "Emergency", "Shaft". Em 1984
participou regulamente em "Falcon Crest". A partir dos anos
90 quase não tem mais se apresentado.

 

 

Passageiro Barry Lockridge – Stefan
Arngrim nasceu em 23 de dezembro de 1955, ficou conhecido pelo seu
trabalho em Terra de Gigantes. Depois da série continuou a participar de
outras séries e mais recentemente trabalhou em "Highlander",
"The Sentinel", "The X Files", "Poltergeist: The
Legacy
", "Millennium", "The Crow: Stairway to Heaven",
"Seven Days", "Cold Squad" entre outros. Stefan também é
músico e tinha uma banda chamada "The Knights of the Living Dead"
entre 1986 até 1993. Ele é irmão da atriz Alison Arngrim que trabalhou em
"Os Pioneiros" e "Room 222".

 

 

Passageiro Alexander Fitzhugh – Kurt
Kasznar (Kurt Servischer) nasceu no dia 12 de agosto de 1913, em Viena,
Áustria. Seu pai morreu quando ele tinha dois anos. Sua mãe casou-se
novamente com um húngaro chamado Ferdinand Kasznar que tinha vários
restaurantes na cidade. Com a subida de Hitler ao poder, Ferdinand
resolveu mudar-se para Salburgo onde ele abriu o restaurante Mirabelle.

 

 

Depois fugiu da Áustria para a
Inglaterra e em Londres reabriu seu restaurante. Kurt foi para o teatro
muito cedo, quando tinha 7 anos o comediante francês Max Linder colocou
Kurt no elenco de "Max, King of the Circus" e depois disso começou
a participar de diversos filmes. Estudou dramaturgia em Viena, depois foi
para a Suíça e através de um convite do ator Max Reinhardt veio para Nova
Iorque onde conheceu Cornelia Wooley, uma herdeira muito rica e casou-se
com ela tornando-se um cidadão americano.

 

 

Nos Estados Unidos começou a
trabalhar em diversos filmes e teatro. Pouco tempo depois da guerra, sua
esposa morreu. Em 1950 quando fazia a peça "The Happy Time" na
Broadway conheceu a sua segunda esposa, a atriz Leora Dana. Seu casamento
com Dana durou até 1958, depois Kurt não se casou mais. Em 1967 foi
convidado por Irwin Allen para fazer o papel de Alexander Fitzhugh em
"Terra de Gigantes". Depois da série continuou a trabalhar na
televisão, cinema e teatro. Kurt morreu de câncer em 6 de agosto de 1979
em Santa Mônica, Califórnia, Estados Unidos.

 

 

Inspetor Kobik – Kevin Hagen nasceu
em 3 de abril de 1928 na Áustria. Fez cinema, teatro e televisão como em
"The Fall Guy", "Amazing Stories", "Simon and Simon",
"Little House on the Prairie", "Yancey Derringer" como John
Colon de 1958 a 1959, entre muitos outros, mas ficou mesmo famoso por
interpretar o terrível Inspetor Kobik em "Terra de Gigantes". Kevin
morreu em 15 de fevereiro de 2005, em Santa Mônica, Califórnia, Estados
Unidos, de câncer no esôfago.


Terra de Gigantes – Land of Giants – Parte
5



Ficha Técnica

 

 

Episódios
– 51

Temporada
– 2

Direção
– Harry Harris, Sobey Martin e Nathan
Juran

 

 

Roteiros
– Bob e Esther Mitchell, William Welch,
Richard Shapiro, Arthur Weiss, Bob e Wanda Duncan, William L.Stuart,
Daniel B.Ullman, Anthony Wilson, Ellis St.Joseph, Jack Turley, Sidney
Marshall, Robert Lees, Sheldon Stark

 

 

Produtores
– Irwin Allen e Jerry Briskin

Musicas
– John Williams, Alexander Courage, Leith
Stevens, Harry Geller, Richard LaSalle, Joseph Mullendore, Paul
Sawtell

 

 

Artistas Convidados – Steven Marlo, Erik L Nelson,
Michael Quinn, Ted Jordan, Joseph Ruskin, Willard Sage, Douglas Bank,
Stewart Bradley, William Bramley, Paul Fix, Ivan Markota, Paul Trinka,
Jack Albertson, Sheila Allen, Patrick Culliton, Sandra Giles, Janos
Prohaska, Miriam Schiller, Cliff Osmond, Warren Stevens, Leonard Stone,
Martin Liverman

 

 

Companhia Produtora – 20th Century Fox Television e
Irwin Allen Production

Distribuidora
– American Broadcasting Company (ABC) –
USA

Dublagem – A.I.C. São
Paulo

 

 

Elenco

 

Capitão Steve Burton – Dráuzio de
Oliveira
Don Erickson – João Ângelo
Mark Wilson – João Paulo
Ramalho
Barry Lockridge – Aliomar Matos
Valery – Isaura
Gomes
Betty – Sandra Campos
Fitzhurg – José Soares
Inspetor
Kobick – Osmiro Campos
Narração – Carlos Alberto Vacari

 

 


POSTAGEM EXTRAIDA DO SITE

Terra de Gigantes – Land of Giants – Parte 1

Posted in Cinema e Televisão on maio 23, 2010 by BernardoMontador

Terra de Gigantes – Land of Giants – Parte
1



 

 

Terra de Gigantes foi mais uma das criações de Irwin
Allen, famoso por várias séries de grande sucesso na televisão como
Viagem ao Fundo do Mar, Túnel do Tempo, Perdidos no Espaço e filmes
como Inferno na Torre. A história desta série lembra também
muitas outras séries e filmes como As Viagens de Gulliver
(Gulliver´s Travels) e A Ilha dos Birutas (Gilligan´s Island –
1964-1967).

 

 

Para realizar mais esta série Irwin gastou na época a quantia
de aproximadamente 250.000 dólares por episódio, uma quantia exorbitante
nunca utilizada numa série até então, que grande parte foram empregados em
diversos e enormes cenários, objetos imensos, nave espacial e uso de
muitos outros artifícios para causar o efeito visual desejado.

 


 

Alguns objetos deve ter custado uma fortuna, como por exemplo a
criação de uma gigantesca mão que abraça alguns personagens quando
capturados.Além do custo, esta série também exigiu atores em perfeitas
condições físicas, usando dubles somente para determinadas cenas
consideradas muito arriscadas e perigosas.

 

 

Muitas cenas exigiram dos atores grande esforço, além de
enfrentarem um ou outro perigo relativamente pequenos e arranhões, pois
tinham de subir usando ou descer utilizando enormes fios de telefones,
transpor grandes objetos e coisas similares. 

 

 

O único membro desta aventura, Fitzhug (Kurt Kazznar) é
provavelmente o que mais sofria pois era o mais gordinho e mais velho dos
"pequeninos" (como eles chamados os humanos pelos gigantes) desta
série, talvez por isso poucas cenas são vistas ele subindo em cordas ou
escalando grandes objetos, assim como existem algumas entrevistas suas
dizendo detestar ter feito este seriado e ter ficado contendte ao vê-lo
encerrado. Muita gente afirma que ele só aceitou fazer o papel por causa
do dinheiro.

 

 

Terra de Gigantes  foi apresentada originalmente pela rede
ABC, nos Estados Unidos, de 22 de setembro de 1968 até 22 de março de
1970, num total de 51 episódios de aproximadamente 60 minutos cada, em
duas temporadas. 

 


 

A série inicia num aeroporto onde um grupo de passageiros
embarcam na nave comercial "Spindrift" de Nova Iorque para Londres
por volta do ano de 1983. Nessa época (segundo a série) os aviões já
haviam sido substituídas por naves com propulsão atômica capaz de voar a
uma incrível velocidade e em imensas alturas chegando a atingir a esfera
sub-orbital da Terra.

 


 

Na tripulação desta nave estão o capitão Steve Burton (Gary
Conway), piloto da nave e também com o passar dos capítulos e dos
acontecimentos passa a liderar e assumir as responsabilidades de todos os
outros, muitas vezes até entrando em conflito com o seu co-piloto ou então
com algum outro passageiro, além de buscar incessantemente uma forma de
retornar a sua origem e sobreviver enquanto isso.

 

 

O co-piloto é Dan Erickson interpretando por um ator
afro-americano Don Marshall, que com o desenvolvimento do espetáculo
torna-se um grande amigo e aliado de Steve, ajudando ele e os outros no
que for possível.Esta nave tem como auxiliar Betty Hamilton (Heather
Young), uma espécie de comissária de bordo daquela época. Mesmo depois que
os acontecimentos que começam a ocorrer, sempre coloca-se como amiga de
todos e sempre acatando as ordens de seus superiores.

 


 

Entre os passageiros encontram-se Valery Scott, protagonizada
pela belíssima Denna Lund, que interpreta uma artista em decadência que
está indo a Londres para tentar conseguir um bom contrato e assim voltar a
ser uma grande estrela. Muitas vezes mostra-se intolerante e voluptuosa
colocando em perigo a vida de outros, mas com o tempo passa a compreender
e ajudar a todos.

 

 

Outro passageiro é o engenheiro muito rico Mark Wilson (Don
Matherson) que está indo a Londres a negócios. Nos primeiros capítulos
mostra-se um sujeito bastante arrogante e intolerante, mas com o decorrer
dos acontecimentos passa a ser compreensivo e ajudar os outros no que
pode, mas por diversas vezes entra em conflito com as idéias e soluções do
capitão Steve.

 

 

Barry Lockdridge é um garoto de aproximadamente 7 ou 8 anos e,
que não larga o seu cachorro chamado "Chipper". Ele ficou órfão por
isso está indo a Londres para ser criado pelo seu parente próximo. 
Apesar de garoto mostra-se muito corajoso e é praticamente adotado por
todos que passam a cuidar dele, especialmente a auxiliar Betty Hamilton,
que o trata como filho e até o estranho Fitzhugh torna-se seu grande
amigo.

 

 

Falando nele, Fitzhugh (Kurt Kazznar), que no início da série
aparece como "Comandante Fitzhugh", é na verdade uma figura
misteriosa, carrega uma maleta cheia de dinheiro de fonte duvidosa e não
explicada. Parece estar indo para Londres em fuga. 

 

 

É um sujeito medroso, na maioria das vezes covarde, ganancioso,
sempre fugindo de suas responsabilidades e também em vários episódios é o
responsável por situações que colocam todos em perigo. É incrível que este
personagem tem uma personalidade muito parecida com a do Dr. Smith de
Perdidos no Espaço, a diferença que desta vez ele não é o responsável pelo
desastre que acaba envolvendo a todos numa louca aventura.

 

 

Basicamente as aventuras se passam ao redor desses personagens,
intercaladas com artistas convidados que fazem papel de vilão ou outro
qualquer. Somente um personagem aparece de vez em quando que é a do
malvado Inspetor Kobik (Kevin Hagen), um agente de um governo totalitário
que tenta de todos os meios capturar os nossos heróis.


Terra de Gigantes – Land of Giants – Parte
2



 


 
 

 


 

 

Terra de Gigantes tem seu início durante a vigem da nave
"Spindrift" em direção a Londres, subitamente acontece uma enorme e
estranha turbulência fazendo com que a nave fique totalmente sem controle,
mas com muita destreza o capitão e seu co-piloto conseguem a muito custo
fazer pousar a nave. O pouso é bem sucedido, apesar da nave apresentar
grandes avalias, quase sem condições de uso novamente a não ser seja
reparado.

 


 

 


 

 

Uma vez em terra firme, o capitão Steve e o co-piloto Dan
resolvem sair e explorar o terreno em busca de ajuda, já que não conseguem
contato através do rádio. É noite de muito nevoeiro e a certa altura 
encontram um enorme pista. Eles pensam ter encontrado um aeroporto ou algo
semelhante quando de repente surge uma luz e um imenso barulho e um
gigantesco carro aparece e passa sobre eles. 

 

 

 

Sem entender nada e apavorados retornam para junto dos outros,
pouco tempo depois a nave é sacudida intensamente como se um terremoto
tivesse acontecendo, quando o Capitão, o co-piloto e a auxiliar vêem pela
janela frontal da nave um garoto gigantesco, apanha a nave e começa a
olhar para dentro dela.

 

   

 

   

 

Com muito custo o piloto consegue, mesmo com a nave bastante
avariada se desvencilhar do garoto gigante e pousar desastrosamente perto
de um parque cheio de árvores. Após o pouso, todos descem para verificar a
situação, quando são surpreendidos por um gigantesco gato que os ameaça
como se eles fossem um pequeno rato. 

 

 

 

Todos entram na nave para se esconder e o gato que passa a dar
patadas violentas na nave. O capitão consegue dar uma descarga elétrica
fazendo com que o gato vá embora.

 

   

 

   

 

   

 

Agora muito mais cautelosos diante dessas coisas estranhas, o
capitão e a Vallery saem a para explorar a vizinhança quando encontram uma
enorme casa e eles entram através de um duto na parede. 

 

   

 

 

 

Lá chegando eles vêem um gigante trabalhando em seu
laboratório, quando são descoberto por ele e acabam sendo capturados. O
gigantes prende-os a uma lâmina para iniciar estudos. 

 

   

 

Essa parte do espetáculo faz com deduzamos que, de alguma
forma, os gigantes já tem conhecimento dos pequenos humanos, pois o
gigante captura-os mas não se mostra surpreendido. Até parece que ele
estava aguardando-os.

 

 

Por sorte o Capitão e Vallery são salvos pelos outros
companheiros. A partir daí eles realmente começam a ficar cientes do local
onde eles se encontram e que estão perdidos numa terra similar a Terra,
porém tudo extremamente enorme, gigantesco em relação a eles. Primeiro
eles pensam ter encolhido mas com o passar dos acontecimento percebem que
estão mesmo num planeta de gigantes.

 

 

A partir desse capítulo inicial, a série passam a mostrar
alguns problemas pessoais que vão surgindo e onde a personalidade de cada
personagem começa a se delinear. A cada novo capítulo novas aventuras vão
surgindo, com participações de vários artistas convidados fazendo papel
dos gigantes e também de alguns outros humanos pequenos que aparecerão no
decorrer dos episódios.

Terra de Gigantes – Land of Giants – Parte
3



 

 

Na série Terra de Gigantes, os humanos no seu dia-a-dia
tem de fazer tudo para poderem sobreviver, estão sempre a procura de
comida e evitando ser capturados pelos gigantes ou pelos animais
domésticos, bem como uma preocupação constante em manter a nave escondida
e tentar consertá-lo, pois ele é a única chance de seu retorno a sua
origem. 

 

 

Quando necessitam de alguma peça de reparo sempre se atrevem a
entrar na cidade, em alguma oficina onde geralmente encontrava um gigante
disposto a agarrá-los, apesar de algumas vezes aparecer algum gigante
simpatizante e salvá-los de situações de perigo.

 

 

Estranhamento nunca foi mencionado o nome do misterioso
planeta, mas muitos gigantes parecem conhecer a Terra, Vênus e Marte como
é referido em alguns de seus episódios. Tampouco não é clara a localização
exata do tal planeta, mas supõe-se que ele faça parte do nosso sistema
solar, mas que por algum motivo não explicado, ou algum truque da
natureza, fazendo-o com que ele fique escondido da Terra. 

 

 

O segundo episódio da série "Ghost Town" por exemplo, já começa
a dar amostra da possibilidade do retorno a Terra mediante algum tipo de
nave que pudesse voar a grandes altitudes, interagindo assim com uma
espécie de fechadura de uma dimensão não muito explicada, mas que parecia
agir como uma dobra espacial. Era a primeira vez que é feita uma menção
dessa tal "fechadura", onde insinuava-se que ela talvez tenha sido criada
e também que era já do conhecimento de alguns dos habitantes desse planeta
de gigantes. 

 

 

Mais tarde no episódio "On a Clear Night You Can See
Earth
" por exemplo, o capitão Steve Burton afirmava ter visto a Terra,
após ter acidentalmente estado diante de um jogo lentes de um óculos de
proteção infra-vermelho inventando pelos gigantes, insinuando que apesar
dos dois mundos serem realmente diferentes, eles estavam presentes numa
espécie de "universo paralelo" um ao lado outro, porém visível
somente através do uso de aparelho especiais.

 

 

Também postulavam que o planeta gigante estava na mesma órbita
da Terra operando como alguma espécie de "dobra do tempo-espacial" que
impeliam os objetos adiante ou para trás a cada seis meses. Em vista disso
começam a pensar e a estudar uma forma de penetrar nessa "dobra" no
momento certo, e assim talvez, retornar a Terra.

 

 

Outra analogia que se faz é que como os habitantes desse
planeta não possuem naves espaciais tripuladas, explicando assim o não
aparecimento de nenhum gigante aqui na Terra. Num outro episódio mostra um
casal de velhos que também chega a esse enorme planeta  (não se sabe
como), mas com a ajuda do capitão e dos outros humanos conseguem escapar
das mãos dos gigantes e  mencionam uma maneira de retornar, mas nunca
foi esclarecido se algum deles regressou ou não a Terra com
êxito.

 

 

Nesse planeta gigante existe basicamente um continente ou
hemisfério que é dominado completamente por um  governo autoritário,
que tolerava a existência de empresários e homens de negócios, mas não
aceitavam qualquer interferência no sentido de efetuar mudanças em sua
política (situação muito parecida com muitos países nos anos 60 e 70,
incluindo o Brasil que vivia uma ferrenha ditadura). 

 

 

Como eram os outros continente ninguém sabia, ou quase. O
controle do tráfego aéreo impediam viagens além mar, pois nada além dele
poderia ser explorado, nem tampouco ir para lá. Os motivos também não são
muito explicados. Apesar de um governo autoritário, em vários episódios
aparecem dissidentes salvando e prestando ajuda aos seus amigos, inclusive
aos humanos ou então trabalhando para desmontar esse tipo de
governo. 

 

 

Para lidar com isso o governo conta com o SID, sigla do
Departamento de Investigações Especiais, liderado pelo terrível Inspetor
Kobik, que faz de tudo para capturar esses dissidentes e também os
humanos, pois muitos cientistas desejam eles para estudo, outros como
brinquedos e ainda tinham aqueles querendo tirar lucros em cima deles,
utilizando-os num circo por exemplo. O autoritarismo do governo foram
mostrados em vários episódios, como uma forma de crítica a esse tipo de
governante. 

 

 

Por incrível que pareça, muitos destes capítulos passaram pelo
crivo dos "Censores" no Brasil, mas há de concordar também que
poucas pessoas fizessem uma relação entre o governo autoritário e o
governo brasileiro. Muitos assistiam mesmo pela aventura e diversão. No
episódio "Pay the Piper" Jonathan Harris, o Dr. Smith de Perdidos no
Espaço, aparece interpretando um tocador de uma espécie de trompete que
hipnotizava (como no conto A Flauta Mágica) para atrair o garoto Barry
para fora do esconderijo e com isso apanhar todos os humanos.

 

 

Havia também muitas cenas cheias de inconsistências como o fato
dos humanos conseguirem carregar uma enorme pilha, mas não poderem fugir
de uma simples teia de aranha. A outra por exemplo é o fato de todos os
gigantes falarem a mesma língua dos humanos, mas a série era tão
empolgante e interessante que ninguém se preocupava com esses detalhes,
afinal era mesma coisa que fica discutindo como a vovó saia inteirinha da
barriga do lobo mau.

 

 

A série foi retransmitida para mais de 80 países, incluindo a
América Latina e o Brasil, que transmitiu o seriado pela primeira vez em
1969 pela TV Record, aos domingos, mais tarde em 1972 voltou a ser
novamente a ser apresentada pela TV Record, às tercas-feiras.

 

 

Por volta de 1974 passou a ser exibida pela Rede Globo, e entre
1990 a 1991 passou a ser apresentada novamente pela TV Record e também
pela canal a cabo Fox Channel, durante sua inauguração. Em 1992 a Rede
Record voltou a exibir no horário das 16,30 horas. Em 1973 a editora
EBAL lançou uma História em Quadrinho baseada na série. A mesma história
já havia sido publicada nos Estados Unidos pela editora Gold
Key.


POSTAGEM EXTRAIDA DO SITE

Zorro – A HISTÓRIA E SEUS PERSONAGENS – PARTE II

Posted in Cinema e Televisão on maio 11, 2010 by BernardoMontador

Zorro – Parte 5



 


 

 Henry Calvin que se destacou com o
personagem Sargento Garcia na série, nasceu em 25 de maio de 1918, em
Dallas e seu nome verdadeiro era Wimberly Calvin Goodman. Mudou seu nome
para Henry Calvin quando estreou como cantor de ópera, passando mais tarde
a trabalhar em musicais da Brodway.

 

 

Na série Zorro
ele usava um cinto para prender a barriga e se tornou uma figura
carismática, um sujeito atrapalhado, mas de bom coração. Com o
encerramento da série "Zorro", continuou a atuar em programas de
humor como "Dick Van Dyke Show", onde fez uma participação
personificando a dupla "O Gordo e o Magro" e naturalmente ele como
o Gordo.

 

Guy Williams e Henry
Calvin

 

Também
participou de diversos filmes na década de 50 e 60. Nos anos setenta
resolveu viajar e conhecer a América Central e Sul, na companhia de seu
amigo Guy Williams, promovendo shows e apresentações de Zorro. Também
esteve no Brasil a passeio. Foi obeso a vida inteira e por isso enfrentou
muitos problemas de saúde. Calvin morreu no dia 6 de outubro de
1975.

 

 

 


 O mordomo Bernardo era protagonizado pelo ator Gene
Sheldon, que nasceu como Eugene Hume no dia 1 de fevereiro de 1908, em
Colombo, Ohio, EUA e se tornou um cômico norte-americano influenciado
pelos irmãos Marx e especializou-se em pantomima e fez dele sua carreira.
Começou sua carreira muito cedo, ajudando seu pai que era um mágico. Mais
tarde iniciou sua carreira na rádio, em Toledo, em 1925.

 

 

Seu
primeiro filme aconteceu em 1934, com "Slug the Banjoist". No ano
seguinte, tocou por pouco tempo banjo para Fred Astaire e Ginger Rogers,
no musical "Roberta". Nos anos 40 participou de diversas comédias
tocando banjo e fazendo pantomimas e imitando gestos distintivos do
comediante do cinema mudo Harry Landgon.

 

 

Antes
dos anos 50 trabalhou para vários programas da Disney. Sheldon também
apareceu falando no filme "Where Do We Go From Here?", um musical
de 1945 e também interpretou outros papéis em outros filmes. Nos anos 60
voltou a trabalhar para a Disney, onde trabalhou a lado de Henry Calvin (o
famoso Sargento Garcia), onde faziam uma dupla muito parecida ao Gordo e o
Magro (Laurel & Hardy).

 

 

Mas,
provavelmente ele será sempre lembrado como o mudo Bernardo, na série de
televisão Zorro. Gene casou-se com Margareth McCann em 11 de dezembro de
1944, em Las Vegas. Eles tiveram um filho e uma filha. Gene Sheldon morreu
em Tarzana, Califórnia, de um ataque do coração no dia 1 de maio de 1982.
Seu corpo foi cremado.

 

 

Don Diamond que
ficou famoso por interpretar o personagem Cabo Reys, o subalterno do
Sargento Garcia na série, nasceu no dia 4 de junho de 1921, no Brooklin,
New York e trabalhou em vários filmes tais como "Bordeline" (1950),
"The Old Man and The Sea" (1958) entre outros.

 

 

Na televisão,
estrelou as séries "As aventuras de Kit Carson" (1951), onde
interpretou El Toro e em "F Troop" (1965) onde interpretou Gato
Louco, um índio maluco. Como ator convidado teve participação em seriados
como A Noviça Voadora, Big Valley, Missão Impossível.

 

 

Especializou-se
em vários sotaques, tais como o japonês, grego, escocês e árabe passando a
trabalhar como dublador de desenhos animados até os dias atuais. Ele é
provavelmente o único ator, que interpretou um dos personagem principais
da série de televisão Zorro, que ainda vive.

Zorro – Parte 7



 

 

Um tempo depois foi lançado no
Brasil um clone de Zorro, criado por um espanhol e foi chamado de
"El Coyote" e apresentado numa série de livros de bolso. Seu
sucesso foi tão grande que chegou até a abrir um mercado exclusivamente
para livros de bolso de Western, mercado esse que durou até os meados da
década de 1990. O "El Coyote" era muito semelhante ao Zorro, mas
agia no México no final do século XIX, por conta disso muito leitores
dessa época acreditam que Zorro até hoje, que ele é um herói
mexicano.

 

 

Zorro reapareceu novamente na
televisão somente em 1974 num telefilme com Frank Langella e no cinema em
1975 no filme western "Zorro" protagonizado por Alain Delon
considerado o melhor filme sobre o herói mascarado, desde a série de
televisão da Disney. O filme inicia com a morte violenta do
governador de Nova Arangona e o poder cai nas mãos de um terrível Coronel,
que não conta com o astuto Zorro, sempre disposto a defender os mais
humildes, escondido atrás do alienando nobre Don Diego.

 

 

Na década de 80 surge a série "The New Adventures of Zorro",
um desenho animado produzido pela Filmation, baseado no personagem
fictício criado por Johnston McCulley, apresentado originalmente nos
Estados Unidos, pela rede CBS, entre 12 de setembro a 5 de dezembro de
1981, como parte da série "The Tarzan/Lone Ranger/Zorro Adventure
Hour
", num total de 13 episódios. No Brasil foi exibido pela TV Record
e também pela Rede Globo. 

 

 

A série animada mostrava as aventuras de Don Diego de la Vega, um
jovem pertencente a alta sociedade da cidade de Los Angeles, que luta
contra a tirania debaixo de uma identidade secreta de Zorro, com a ajuda
de seu cavalo negro chamado Tempestade e também por Miguel, um jovem
espadachim, que utiliza uma disfarce bem parecido com a de Zorro, mas com
cores diferentes, sem a capa e montando um cavalo chamado Palomino,
geralmente para confundir e dar cobertura ao disfarce de Don Diego. O
vilão da história é Ramon, o capitão da guarnição e o principal inimigo de
Zorro. 

 

 

O Capitão Ramon é geralmente auxiliado pelo sargento Gonzales na
tarefa de capturar o herói mascarado, mas o sargento, apesar de ser todo
atrapalhado, não é um mal sujeito e também muito amigo da família dos De
la Vega. Neste desenho animado alguns nomes e personagens  foram
trocados, assim como algumas adaptações, mas a história continua mantendo
a mesma trama do seriado original da televisão.

 

 

Ao final de cada capítulo, Zorro
mostrava aos espectadores uma mensagem referente a alta sociedade
californiana, sua influência na cultura e na língua espanhola da região.
Este tipo de mensagens eram bastante freqüentes nos desenhos animados
norte-americanos dos anos 80.

Zorro – Parte 8



 

Abertura: The New Adventures of Zorro

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Zorro – Parte 9



 

 

Em 1981, o ator George Hamilton
protagonizou uma sátira chamada "As Duas Faces de Zorro", dirigido
por Peter Medak e onde Hamilton interpreta dois papeis: de Diego de la
Vega e seu irmão gêmeo chamado Ramón, totalmente gay. Uma comédia muito
engraçada que fez muito sucesso na época e dez em quando é reprisado na
televisão.

 

 

Entre 1990 a 1993 chega uma nova
série sobre o lendário mascarado chamado "Zorro: The New World
Zorro
", uma produção franco-americana muito similar ao da década de
50, com algumas alterações de menor importância, estrelado por Duncan
Regehr como Don Diego de la Vega e Zorro, Patrice Camhi Martinez como
Victoria Escalante, Efrem Zimbalist Jr. como Don Alejandro de la Veja,
James Victor como Sargento Jaime Mendonza, entre outros.

 

 

A série foi apresentada pela
emissora Family, nos Estados Unidos, entre 5 de janeiro de 1990 a 2 de
dezembro de 1992, num total de 88 episódios, com duração de
aproximadamente 30 minutos cada, em 4 temporadas.

 

 

Em 1992, a produtora Italy´s Mondo
realizou uma nova versão em desenho animado do Zorro chamado "The
Legend of Zorro
", também conhecido como "Legend of Little
Zorro
", num total de 52 episódios e entre 1996 a 1997, o Japão também
produziu um anime chamado "Kaiketsu Zorro", apresentado
originalmente pela emissora NHK japonesa, dirigido por Katsumi Minoguchi.

 

 

Esse anime chegou ao Brasil em
1997, por intermédio da América Kids e transmitido pela Rede Record em
1998. Posteriormente foi lançado pela América Vídeo em VHS com o nome de
"A Lenda do Zorro".

 

 

Entre setembro de 1997 a dezembro
de 1998 a Warner Bros criou e apresentou uma nova série de desenhos
animados sobre o herói mascarado Zorro, contendo 26 episódios, exibidos em
2 temporadas, pela rede CBS nos Estados Unidos e que foi chamado
simplesmente de "Zorro", mas também denominado por muito autores
como "The New Adventures of Zorro – 1997-1998"

 

 

Em 1998, o diretor e produtor
Steven Spilberg resolveu produzir uma superprodução chamada de A Máscara
do Zorro, dirigido por Martin Campbell e protagonizado por astros famosos
como Antonio Bandeiras, Catherine Zeta Jones e Anthony Hopkins.

 

 

Neste filme, depois de sua esposa
ter sido morta e sua filha levada pelo seu maior inimigo, Don Diego passa
mais de 20 anos na prisão. Quando consegue fugir da prisão encarrega um
ladrão chamado Alejandro Murrieta como seu discípulo, com o objetivo de
transformá-lo num novo Zorro e vingar-se do seu passado. O filme teve
continuação em 2005 em A Lenda do Zorro. 

 

 

Recentemente, uma novela colombiana
chamada "El Zorro: La Espada y la Rosa" foi realizada com produção
da Sony Pictures Television International, Telemundo e RTI. No Brasil esta
novela foi apresentada pela Rede Record entre 28 de maio a 8 de outubro de
2007, com o título de "Zorro: A Espada e a Rosa".

 


 

Em 2008, surge o desenho animado
"Zorro: Generation Z", uma produção alemã que foi apresentada
originalmente pela emissora POP! no dia 7 de abril de 2008, posteriormente
pela Kix! em 19 de maio de 2009 no Reino Unido. Esta nova versão do herói
mascarado tem como figura principal Diego de La Vega, que luta contra um
governo corrupto de Pueblo Grande, numa colocação num futuro próximo.

 

 

O espetáculo teve a primeira temporada
constituída por 26 episódios e no Brasil apresentada pela Rede Record. Uma
segunda temporada já foi anunciada pelos produtores, contendo também 26
episódios e intitulada de "Zorro Generation Z: HD". Até o
fechamento desta matéria em agosto de 2009, a segunda temporada da série
não havia ainda sido liberada.

POSTAGEM EXTRAIDA DO SITE


Zorro – A HISTÓRIA E SEUS PERSONAGENS – PARTE I

Posted in Cinema e Televisão on maio 11, 2010 by BernardoMontador


Zorro – Parte 1



O herói mascarado Zorro foi criado em 1919 pelo escritor
Johnston McCulley e apresentado pela primeira vez na revista
norte-americana chamada All Story Weekly com o nome de “The Curse of
Capistrano
” (A Maldição de Capistrano) e logo conseguiu alcançar um
grande sucesso, sendo transformando posteriormente em diversos livretos
contendo várias historietas.

Esse tipo de literatura no início do século XX, era chamado de
pulp“, ou seja, um subgênero literário considerada de baixa
qualidade e caracterizada por novelas, contos e romances vendidos como
livros de bolso. Por esse motivo também que Zorro sempre foi considerado
um ícone menor da cultura pop e um representante de um gênero menor de
ficção norte-americana conhecida como
Swashbuckler“.

O personagem Zorro foi provavelmente inspirado nas histórias de
alguns bandidos reais da Califórnia e alguns também o associam com Joaquim
Murrieta, cuja vida foi publicada num livro em 1954 por John Rollin Ridge.
Outras inspirações possíveis seriam baseadas nas histórias de Robin Hood e
talvez até no livro Pimpinela Escarlate de 1905, pois guarda muitos
paralelismos com a história criada por McCulley.

Zorro foi traduzido para mais de 26 idiomas diferentes e acabou
chamando a atenção dos cineastas para esse fenômeno literário e
rapidamente chegou ao cinema, num filme mudo chamado “The Mask of
Zorro
” (A Máscara do Zorro) já em 1920, protagonizado pelo ator
Douglas Fairbanks.

O filme não obteve grande repercussão, mas foi o responsável por
inaugurar as características marcantes do herói, como a espada, o chicote,
a máscara e a famosa marca “Z”, que originalmente não existia nos contos
de McCulley.

Em 1925, Douglas Fairbanks voltou a fazer outro filme mudo sobre o
herói mascarado num filme chamado “Don Q, Son of Zorro” (O Filho do
Zorro), dirigido por Donald Crisp, onde Fairbanks interpreta Don César de
la Vega.

Mas o sucesso real de Zorro no cinema chegou somente num filme de
1940, num revival de 1920, também chamado de “The Mask of Zorro“,
dirigido por Rouben Mamoulian e produzido pela 20th Century Fox, estrelado
por Tyrone Power como Don Diego de la Vega (Zorro), Linda Darnell como
Lolita Quintero, Montagu Love como Don Alejandro Vega, Basil Rathbone como
o Capitão vilão e J. Edwardo Bromberg como um corrupto governador. Esse
filme é apontado por muito autores como o primeiro filme, a realmente
criar uma verdadeira identificação do público com o herói
mascarado.

Curiosamente, pouco tempo depois em 1944 surgiu um filme serial
produzido pela Republic Pictures chamado “Zorro´s Black Whipe“,
dirigido por Spencer Bennet, em que o personagem Zorro era interpretado
pela atriz Linda Stirling como Barbara Meredith, que lutava contra o
criminosos que conspiravam contra a criação do Estado de Idaho. O filme
iniciava com o irmão de Barbara chamado Randy, que lutava disfarçadamente
como o herói mascarado, mas acaba sendo assassinado e então Barbara toma
seu lugar e continua a sua luta.

Em 1949 surge um outro serial chamado “Ghost of Zorro
dirigido por Fred C. Brannon e protagonizado por Clayton Moore como Ken
Mason, um filme sem muita importância no cenário internacional, a não ser
pelo fato de Clayton Moore, pouco tempo depois ter protagonizado uma série
chamada Lone Ranger (1949-1957), onde ele interpretava um herói também
mascarado.

Coincidência ou não, mas na década de 60 quando Lone Ranger
(O Cavaleiro Solitário) foi apresentado no Brasil recebeu o nome de Zorro,
criando uma grande confusão que persiste até os dias atuais. Lone Ranger
possui poucas semelhanças com o real Zorro, pois a série era retratada num
cenário de cowboys, nos Estados Unidos e as lutas geralmente aconteciam
entre os fazendeiros e os índios. Ele tinha um companheiro índio chamado
Tonto e andava num cavalo branco chamado Silver e sua origem e história
eram completamente diferentes.


Zorro – Parte 2



Em 1952, Walt Disney que na época estava levantando financiamento
para o seu novo parque temático, começou a se interessar pelas aventuras
do Zorro para tentar vender para alguma emissora interessada,
mas todas elas solicitaram que Disney fizesse um episódio piloto da
série.

Disney, como sempre não
concordava e desta forma o projeto ficou provisoriamente suspenso, até que
Disney resolveu desengavetar o projeto para oferecer a ABC em troca de um
maior financiamento ao novo parque e assim em abril de 1957, o estúdio
começou a recrutar o elenco para fazer o seriado.

Para interpretar o Zorro foi chamado um quase desconhecido ator
chamado Guy Williams para fazer o papel do Zorro e também de Don Diego de
la Vega. O ator Guy Williams passou um tempo realizando rigorosos
treinamentos para deixar seu corpo da forma adequada, tendo aulas
inclusive com o professor Fred Cavens que também havia treinado Douglas
Fairbanks e Tyrone Power, para que eles pudessem interpretar o Zorro
adequadamente.


Além disso Guy teve aulas de canto e violão com Vicente Gomez, mas
ele não conseguiu aprender muita coisa e assim não tiveram outra saída
senão contratar o cantor Bill Lee para fazer o dublê de Williams na cenas
em que ele precisava de cantar e tocar.

Aliás, as músicas eram parte importante do trama do espetáculo, por
isso o músico William Lava teve que criar várias canções para diferentes
cenas do programa, pois essas pequenas canções surgiam quando os atores
entravam em cena e ajudava a pressagiar as ações que viriam a seguir. A
música tema da série foi composta por George Bruns, com letra de Norman
Foster e acabou se convertendo num dos temas mais conhecidos de todos os
tempos.

Outra aquisição muito importante para série foi a contratação de
Gene Sheldon para interpretar o mordomo e amigo de Don Diego chamado
Bernardo, que era mudo e também se fingia de surdo, para desta forma poder
ouvir o que se diziam pelos arredores ou pelos inimigos e poder alertar
Don Diego daquilo que se passava.

Bernardo por vezes também se disfarçava de Zorro para que as outras
pessoas pudessem ver Don Diego e desta forma não fazer uma ligação entre
Zorro e Don Diego, afinal os dois não poderiam estar juntos ao mesmo tempo
e isso afastaria qualquer suspeita sobre a verdadeira identidade do herói
mascarado.


Foi também criado um novo personagem conhecido como Sargento Garcia
que era o auxiliar direto do malvado Capitão Monastério e encarregado da
guarnição dos soldados do forte. Garcia era um sujeito gordo, desengonçado
e vivia sonhando com comida e vinho, mas não era um mal sujeito e tinha um
bom coração, mas as suas fraquezas muitas vezes acabam por causar um
enorme problema ao Zorro.


Com o passar dos episódios, Garcia passou a ter simpatia de Zorro e
também do público, pois era um personagem responsável por toda a
comicidade do espetáculo.Sargento Garcia foi interpretado por Henry
Calvin, um ator veterano que havia iniciado sua carreira bem cedo atuando
em várias obras na Broadway.

O Sargento tinha um ajudante direto chamado de Cabo Reys
interpretado por Don Diamond, que era um outro atrapalhado, mas às vezes
se mostrava muito mais esperto que o Sargento, conseguindo guardar algum
dinheiro e assim comprar sua própria bebida e beber de preferência longe
do Sargento, é claro!.


Zorro – Parte 3



Em Zorro, o malvado Capitão Monastário foi vivido por Britt Lomond que
participou dos primeiros 13 episódios da série, depois outros vilões
surgiram e também se tornaram inimigos imortais do herói macarado e para completar
o quadro foi contratado o ator George J. Lewis para interpretar o pai de
Don Diego.

Don Alejandro de la Vega era um grande fazendeiro, um dos
homens mais ricos e proeminentes de Los Angeles e que também gozava de
grande prestígio junto aos camponeses e outros fazendeiros menores e que
Monastério tentou forçosamente a ajudá-lo em suas tramóias para extorquir
a pouca fortuna desse povo.

Nessa época Don Diego, filho de Don Alejandro, acabava de chegar da
Espanha e começa a perceber a injustas regras impostas pelo Capitão
Monastário sobre o povo de Los Angeles, um homem cruel que abusava do
poder com a ambição de acumular riquezas pessoais. Diante disso, Diego
resolve adotar a identidade secreta de Zorro, uma figura enigmática
vestido de negro e esperto como uma “raposa“, cuja tradução em
espanhol é Zorro.


Na série a identidade de Zorro era apenas conhecido pelo seu
mordomo Bernardo, nem mesmo seu pai Don Alejandro não sabia da verdadeira
identidade secreta de seu filho, principalmente porque Diego em diversas
ocasiões se mostrava diante de seu pai e de seus amigos como um fanfarrão
covarde, que apenas gostava de ficar lendo poesias e desfrutar da boa vida
que o dinheiro de seu pai podia lhe oferecer.

Desta forma ninguém passava a suspeitar que Don Diego fosse o
Zorro, nem mesmo seu pai e nem os outros. Mas logo depois o pai
acaba descobrindo, quando Zorro lhe salva sua vida e fica muito orgulhoso
de seu filho.


O Zorro, além de Bernardo, confiava apenas em seu cavalo negro
chamado Tornado, que na realidade eram três cavalos, cada um com
habilidades especiais e assim cada um participava de determinada cena. Um
deles era especializado em levantar as patas dianteiras, por isso foi
utilizado nos créditos de abertura. O segundo era usado somente nas cenas
de luta e o terceiro quando Zorro precisava fugir dos soldados, a todo
galope.


No seriado Tornado era guardado às escondidas, numa gruta
secreta, que Don Diego chegava a ela através de diversas passagens
secretas existentes na casa de seu pai e que ele descobrira enquanto
brincava quando era ainda uma criança e que era de total desconhecimento
mesmo pelo seu pai. As únicas pessoas a saber dessas passagens eram Don
Diego e seu fiel mordomo Bernardo.

Para a segunda temporada da série os produtores acharam melhor
trocar alguns atores e resolveram introduzir a atriz Jolene Brand para
interpretar a bela e sedutora Ana Maria Verdugo como interesse de Don
Diego e desta forma atrair mais público para o espetáculo.

Na primeira temporada Don Diego geralmente mostrava pouco interesse
pelas donzelas e passava quase que o tempo todo atrás dos bandidos e se
esquivando das belas mulheres que tentavam seduzi-lo. Mas toda essa
estratégia dos produtores causaram pouca melhoria de audiência e então Don
Diego voltou a ser o mesmo homem pouco romântico da primeira
temporada.

No início da terceira temporada, Disney e a rede ABC entraram numa
batalha judicial para lutarem pela propriedade intelectual das séries The
Mickey Mouse Club e de O Zorro, mas incapazes de chegar a um acordo,
Disney resolveu encerrar momentaneamente a série e retornar novamente
assim que os dois tivessem chegado a um acordo. O Zorro nunca mais voltou
a ser produzido pela Disney e a série foi encerrada de vez.

A série Zorro foi apresentado originalmente nos Estados Unidos pela
rede ABC, entre 10 de outubro de 1957 a 2 de abril de 1961, num total de
82 episódios, com 30 minutos de duração cada episódio, com exceção de 4
episódios que tiveram 60 minutos de duração, em 3 temporadas incompletas.


No Brasil esta série foi exibida pela primeira vez pela extinta TV
Tupi na década de 60, depois foi transmitida por outras emissoras com o
nome de “O Zorro de Walt Disney“, em 2003 pelo canal por assinatura
Fox Kids com o nome de “A Marca do Zorro” e em 2005 pelo canal
Jetix e também ao longo do tempo foi apresentado por diversas outras
emissoras.


Zorro – Parte 4



Guy Williams
nasceu no dia 14 de janeiro de 1924, em Nova Iorque e seu verdadeiro nome
era Armando Catalano mas todos o chamavam de Guido. Armando estudou na
Peekskill Military High School um colégio militar, mas não era um
estudante aplicado. Sua maior preocupação era procurar emprego, ele sempre
trabalhava durante as férias escolares.

Ele encerrou os
estudos e começou uma carreira de modelo fotográfico e ator. Foi
nesta época que seu agente, Henry Wilson mudou seu nome para Guy Williams.
Fanático por xadrez, Williams dividia seu tempo entre as fotos
publicitárias e o Manhatan Chess Club.

Durante uma
sessão de fotos para um anúncio, Guy conheceu a modelo Janice Cooper com
quem se casou poucos meses depois. O casal teve 2 filhos Steve (1952) e
Toni (1958). Em 1957, foi convidado por Walt Disney para fazer o papel de
Zorro e Williams se tornou um astro e resolveu seus problemas financeiros,
além do salário, ele recebia 2,5% dos lucros da
série.

Devido a
problemas entre a NBC e Walt Disney a série foi cancelada. Neste período
Guy fazia aparições públicas, vestido como o personagem, em eventos na
Disneylandia para manter a imagem de Zorro viva. Guy ainda fez filmes como
O Príncipe e o Mendigo, Capitão Simbad e estrelou a série Bonanza. Em
1964 foi convidado para fazer Perdidos no Espaço e aceitou, dizem que o
único motivo que fez ele aceitar foi o fato dos estúdios da Fox ficarem
perto de sua casa.

Em 1968
a série chegou ao fim. Em 1973 recebeu um convite de Isabela Perón para
fazer aparições públicas na Argentina, ele viajou para a Argentina com a
esposa Janice e o amigo Henry Calvin (Sargento Garcia). Impressionado com
o carinho dos argentinos, dividia seu tempo entre Buenos Aires e Los
Angeles passando mais tempo na Argentina a partir de
1978.

No início da
década de 80 ele se divorciou e passou a viver com a atriz e jornalista
Araceli Lisazo com quem dividia sua residência também nos Estados Unidos.
Durante o período em que viveu na Argentina, fez aparições públicas e
chegou a trabalhar no ramo imobiliário.

Após sua
enfermidade, largou tudo e, nos últimos anos, cogitava fixar residência
nos Estados, quando veio a falecer no dia 04 de maio de 1989. O corpo foi
enterrado no cemitério La Chacarita em Buenos Aires sem a presença da
Família, mais tarde, seu filho Steve acompanhou a remoção do corpo para os
Estados Unidos onde foi cremado e suas cinzas jogadas ao
mar.

Britt Lomond
que interpretou o personagem Capitão Monastário na série, nasceu em
Chicago, Illinois no dia 12 de abril de 1925. Seu nome verdadeiro era
Glase Britt Lomond e foi casado a mais de 40 anos com Diane, teve 2 filhos
Glase e Evans, ambos na faixa dos 30 anos.

Sua carreira
como ator começou por acidente. Enquanto trabalhava com um grupo de
teatro, um dos atores ficou doente no último minuto e o único que cabia
nas roupas era ele. Participou de séries como Rawhide, The
Virginian, Death Valley Days, Waltons, Falcon Crest,
e Battlestar
Galactica
, entre outros. Britt morreu em 22 de março de 2006, na
Califórnia, aos 80 anos de idade.

George J.
Lewis que interpretou o personagem Dom Alejandro de la Vega, nasceu
em 10 de dezembro de 1903, em Guadalajara, no México. Lewis estreou no
cinema em 1923 e devido a sua figura logo começou a se destacar nos
filmes da Universal Pictures.

Com a chegada
do som ao cinema, passou a desempenhar grandes papéis étnicos,
principalmente por ser bilíngüe, falava fluentemente o espanhol e o
inglês. Na década de 30 fez vários filmes na Espanha utilizando o nome de
Jorge Lewis, voltando na década de 40, a usar o nome de George, algumas
vezes com o J no meio, outras não. Trabalhou em mais de 150 filmes e se
aposentou em 1969. Lewis morreu no dia 8 de dezembro de 1995, em Riacho
Santa Fé, na Califórnia, aos 91 anos de idade.


POSTAGEM EXTRAIDA DO SITE

 


Zorro – Lone Ranger – O Cavaleiro Solitário – PARTE III

Posted in Cinema e Televisão on maio 8, 2010 by BernardoMontador

Zorro – Lone Ranger – O Cavaleiro Solitário – Parte 5


A
King Features Syndicate distribuiu as tiras para o jornal de The Lone
Ranger (Zorro) entre setembro de 1938 a dezembro de 1971. As tiras
originais foram produzidas pelo artista Ed Kressy, mas ele foi
substituído em 1939 por Charles Flanders que permaneceu até o
encerramento das tiras. Em 1981 a New York Times Syndicate lançou uma
segunda tira do herói mascarado, escrito por Cary Bates e arte de Russ
Heath até 1984. Essas tiras viraram dois enredos de um comic book
chamado de “Pure Imagination Publishing” em 1993.

A
partir de 1962, a Gold Key Comics continuou a publicar as revistas do
herói mascarado até 1977. O índio Tonto também foi editado em revista
própria em 1951, num total de 31 edições, assim como o cavalo Silver em
1952 com 34 edições. Também foram lançadas três Anuais e uma adaptação
do filme de 1956. No Brasil, várias dessas publicações foram lançadas
pela Editora Ebal, como a revista Zorro, até fins da década de 70.

No
Brasil a série Lone Ranger foi apresentado inadequadamente como Zorro,
provavelmente devido ao herói usar uma máscara negra que escondia sua
verdadeira identidade, mas a série acabou se confundindo com a
verdadeira história de Zorro, que foi apresentada pela série de
televisão O Zorro, o herói de capa e espada, produzida pela Walt
Disney. Outra confusão é o fato do companheiro do Cavaleiro Solitário
se chamar Tonto, pois a tradução original foi mantida, o que causou um
certo constrangimento ao personagem, pois em português a palavra “tonto
acaba tendo uma conotação pejorativa, significando um trapalhão ou
desajeitado, o que não tinha nada a ver com o índio, que se mostrava um
valoroso combatente dos fora-da-lei.

Clayton
Moore nasceu como Jack Carton Moore em 14 de setembro de 1914 e ficou
famoso por interpretar o personagem Lone Ranger (O Cavaleiro
Solitário), apresentado equivocadamente como Zorro, no Brasil. Antes de
iniciar sua carreira de ator, Moore foi trapezista e dublê de atores em
serials da Republic, até o seu sucesso a partir de 1949.

Depois
do encerramento da série de televisão, Moore praticamente não obteve
outras propostas, pois o personagem acabou marcando demasiadamente em
sua carreira e passou a fazer aparições públicas beneficente sempre
vestidas como o personagem.

Por
volta de 1975, acabou sendo proibido de se apresentar como o herói
mascarado pelo uso indevido da marca e então passou a usar um óculo
escuro e chapéu de cowboy, o que lembrava bastante a figura do
mascarado. Foi casado quatro vezes e morreu em 28 de dezembro de 1999,
em Los Angeles.

Jay
Silverheels nasceu como Harold J. Smith, no dia 26 de maio de 1919 e
mudou o nome de nascimento legalmente para o artístico em 1971. Jay era
um índio puro da raça Mohawk, nascido numa das Seis Nações Reserva
índia em Brantford, Ontario, Canadá e era um, de sete irmãos e irmãs.

Jay
foi um atleta antes de se tornar um ator. Ele era um lutador, pugilista
e jogador de lacrosse e se tornou um jogador muito próspero no Canada´s
National Lacrosse Team. Jay estava com este time quando veio para o EUA
em 1938.

Entre
muitos filmes, Jay foi Geronimo em dois diferentes seriados: Broken
Arrow e Walk the Proud Land. Ele era muito dedicado a ajudar outros
atores americanos nativos (índios) e foi um forte opositor à prática de
contratar atores brancos para representar os índios. Ele achava
importante dar aos atores americanos Nativos (índios) a oportunidade
para representar esses papéis.

Então
ele criou a Indian Actors Workshop em Echo Park, por volta de 1960 e
encorajava ativamente os artistas jovens e talentosos a estudarem a
arte dos indios americanos. Também se tornou um próspero criador de
cavalos de corridas.

Jay
Silverheels era viúvo de Mary Diroma, que morreu em 1946, com quem teve
dois filhos. Ele morreu em 5 de março de 1980. Seu corpo foi cremado e
mais tarde suas cinzas voltaram a ser enterradas na reserva indígena de
Six Nations Indians Reserve. Seu nome permanece na Calçada da Fama de
Hollywood na 6538 Hollywood Boulevard.

Zorro – Lone Ranger – O Cavaleiro Solitário – Parte 6


Abertura: The Lone Ranger

Elenco

Clayton Moore (Lone Ranger)

John Hart (Lone Ranger) 1952/54 episódios 79-130

Jay Silverheels (Tonto)

POSTAGEM EXTRAIDA DO SITE